banner6.png
pezinho.png

Teste do Pezinho

O que é o Teste do Pezinho?
Teste do Pezinho é um exame destinado a diagnosticar diversas doenças congênitas em bebês nos primeiros dias de vida, a partir de uma gotinha de sangue extraída do pezinho (daí o nome). Ele permite intervir precocemente nas possíveis patologias, minimizando sequelas.
       
Com quantos dias de vida o bebê deve fazer o Teste do Pezinho?

O período entre o 3º e o 5º dia de vida é ideal para a realização do exame. Essa janela de tempo permite identificação mais precisa do maior número de doenças congênitas e intervenção precoce com maior êxito no controle das sequelas. Mas nada impede realizá-lo depois desse prazo.
      
Como fazer o Teste do Pezinho?
A partir do terceiro dia de vida do bebê, o Teste do Pezinho Básico e também o Ampliado, já implantado em alguns estados, podem ser feitos na rede pública. No entanto, eles detectam apenas até 30 doenças, quando as versões mais abrangentes, oferecidas pela rede privada, podem chegar até 100 doenças pesquisadas.
       
Como funciona o Teste do Pezinho?

O Teste do Pezinho é feito com a coleta de algumas gotas de sangue do calcanhar do bebê.  A partir dessa amostra, todas as doenças cobertas pela modalidade do exame são investigadas. É importante que bebê não tenha idade inferior a 48 horas de vida, e recomenda-se amamentar antes da coleta. No caso de resultado positivo para alguma das patologias pesquisadas, é realizada testagem específica de comprovação.
○        
Quais são os tipos de Teste do Pezinho?

Existem basicamente seis versões do Teste do Pezinho, de acordo com a amplitude de diagnóstico. O Básico é capaz de detectar até 12 doenças; o Ampliado, 30 doenças; o Plus, 33 doenças; o Master, 38 doenças; o Expandido, 60 doenças; e o Completo, 100 doenças.
        
Quais doenças detecta cada tipo de Teste do Pezinho?
Básico (12 doenças):
 hipotireoidismo congênito; fenilcetonúria e outras hiperfenilalaninemias; anemia falciforme e diversas hemoglobinopatias; fibrose cística; hiperplasia congênita da supra renal; deficiência de biotinidase.
Ampliado (30 doenças): além das cobertas pelo Básico, investiga também deficiência de TBG (globulina ligadora da tiroxina T4), aminoacidopatias e distúrbio do ciclo da ureia.
Plus (33 doenças): além das cobertas pelo Ampliado, detecta também galactosemias e toxoplasmose congênita.
Master (38 doenças): além das diagnosticáveis pelo Plus, pesquisa também sífilis congênita; doença de chagas; citomegalovirose; rubéola congênita.
Expandido (60 doenças): além das doenças cobertas pelo Master, investiga também tirosinemias; distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e acidemias orgânicas; deficiência de Acil-Coa e desidrogenase de cadeia média.
Completo (100 doenças): investiga, além das cobertas pelo Expandido, também doenças lisossômicas (Doença de Gaucher, Pompe, Fabry e MPS I); deficiência de G6PD; SCID, AGAMA e outras imunodeficiências congênitas; citomegalovirose; HIV e surdez congênita.